, , , ,

Desabafo: Adopção gay

terça-feira, julho 24, 2012

Hi ladies,
Mais um desabafo, mais um tema polémico.

Esta semana em conversa com um grupo de amigos falávamos da adopção por famílias homossexuais. Apesar de todos termos os mesmos valores, sem fundamentalismos ou verdades irrefutáveis, como em todas as conversas surgiram opiniões divergentes.
Um querido amigo meu dizia-nos que respeita que dois homens (ou duas mulheres) se casem mas que não acredita que uma adopção de um casal gay seja viável, argumentando que a criança adoptada iria viver num ambiente estranho e seria vítima de discriminação.
Outro amigo nosso, com orientação sexual diferente da nossa, dizia que as crianças têm uma mente maleável e que nunca sofrerão nenhum tipo de preconceitos se forem educadas pelos pais a ignorarem esse género de provocações.

A minha opinião é um pouco diferente. Antes de qualquer outra consideração: eu acredito no AMOR, e só este sentimento é superior a qualquer preconceito. Se existir amor nada deverá impedir o relacionamento entre duas pessoas. Uma criança, para crescer saudável e em harmonia, necessita de conforto, de cuidados diários, de orientação e de muuuuuuuuito amor. (amor, amor amor) Assim, se duas pessoas que vivem juntas, que se relacionam em harmonia, reúnem as condições para terem um filho o que pode impedi-los de o fazerem?

Actualmente, no país em que vivemos, a lei parental implica que um casal gay não pode adoptar uma criança. Podemos dizer que a lei portuguesa admite que um homem ou uma mulher (independentemente da sua orientação sexual) possam adoptar, porém não poderá haver uma co-adopção em casos de relações homossexuais. Ou seja, a parentalidade não pode ser aplicada ao membro do casal que não é pai biológico ou adoptante da criança.
 Muitos altos dirigentes e membros da comissão de acompanhamento da Revisão da Lei da adopção não aprovam a adopção por gays com argumentos do tipo: "Este tipo de adopção prejudica o desenvolvimento da criança"; "Um criança nestas circunstâncias não vive em harmonia"; "O complexo de édipo fica mal resolvido nestes casos!"
Isto faz algum sentido?

Obviamente que os direitos da criança deverão estar acima de qualquer outro factor. Mas se um casal reúne todas as condições para criar uma criança deverá a sociedade impor limites restritivos? A mesma sociedade que assume que os orfanatos estão lotados, a mesma sociedade que acredita que as crianças deverão ter direito a uma casa, educação, um lar, é a sociedade que impede um casal normal e cheio de amor de adoptar uma criança sozinha no mundo. As desculpas são as mesmas de sempre: o saudável desenvolvimento da criança, a discriminação que sofrerá.
As crianças não nascem com preconceitos, as crianças adaptam-se, reconhecem as diferenças e aceitam-nas. Se existem meninos e meninas que discriminam os homossexuais é simplesmente porque não foram educados de modo a respeitarem a diferença, é porque ouvem em casa expressões que nem me atrevo a referir, considerações preconceituosas e ignorantes.

Devemos negar para sempre o direito a ter uma família aos casais homossexuais? A propósito de quê?
Acredito que a mudança deverá passar pela educação da sociedade, dos nossos filhos e dos filhos dos nossos filhos, para que possamos caminhar em direcção a um futuro com mais igualdade em que qualquer criança possa ser feliz com 1 pai e 1 mãe, 2 pais ou 2 mães.





You Might Also Like

29 great lady(ies) said:

  1. Concordo com o que tens aqui escrito! E a verdade é que as crianças conseguem ser muito mázinhas umas com as outras, mas isso advém e muito da educação que têm em casa. E se estas crianças que forem adotadas por "2 pais ou 2 mães" e se realmente tiverem AMOR, vão nascer com ótimas noções morais e não se vão tornar mázinhas. E na minha opinião é uma estupidez não puderem adotar, porque vão sofrer por ambos os pais serem do mesmo sexo. Crianças que vivem com um dos pais, com avôs ou tios, também sofrem. A lei vai mudar, mas até aí demora imenso tempo porque uma parte da sociedade portuguesa pensa com base na discriminação. Eu não tenho qualquer objeção e as pessoas deveriam ser livres de acolher uma criança e dar-lhe as condições necessárias, porque certamente num lar adotivo não são felizes. Acho que o meu comentário está um bocado misturado e assim, mas deixo a minha opinião :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebi perfeitamente a tua opinião :) Tal como tu, acredito que estes pais serão melhores do que a sociedade consegue imaginar e certamente estas crianças ficarão bem melhor com eles do que nos orfanatos :)

      *
      <3

      Eliminar
  2. Olá querida,


    Descobri o teu blog e estou a adorar
    muitos parabéns pelo belissimo trabalho =)

    Adorei este post, e concordo contigo.

    Já estou a seguir
    caso queiras passa no meu blog, ia adorar

    também faço vídeos de maquiagem e moda.


    neuzamariano.blogspot.com
    http://www.youtube.com/user/neuzamariano?feature=mhee

    Espero que gostes
    muah***

    ResponderEliminar
  3. Tem piada dizerem que as crianças iriam ser discriminadas, quando eles são logo os primeiros a faze-lo.
    Partilho uma visão igual à tua. Desde que a criança receba amor, qual é a questão? Prova disso por exemplo é o Bernardo, filho adoptivo (são eles que possuem a guarda dele, foi "acordo" com a família biológica, de outra forma não o conseguiriam) do Eduardo Beauté e do Luís Borges. Eu sigo no Luís no Facebook e digo-te, se alguém tem duvidas de que uma criança pode crescer saudável sendo criada por homossexuais, ali tem o exemplo perfeito para mudar de opinião. A criança é super bem tratada, é a luz da vida deles e nota-se a sua felicidade.
    E mais. Não me levem a mal, mas nota-se bastante isso. Os casais homossexuais por norma não possuem problemas em adoptar crianças com doenças (HIV/SIDA, o Elton John antes de ter recorrido a uma barriga de Aluguer pretendia adoptar uma criança ucraniana com HIV, mas as autoridades não deixaram "por causa da idade dele"), com "problemas cognitivos" - não sei bem como explicar esta situação. refiro-me a crianças com autismo ou Trissomia 21. o Bernardo por exemplo sofre disso e é super acompanhado por especialistas. Num caso normal não teria sido adoptado ou só em ultimo caso.
    Outra coisa é que eles não têm problemas em adoptar crianças mais velhas.

    Não sei, acho ridículo essa associação dizer isso quando existe tanta criança a querer alguém que os ame e trate deles. Seja alto, baixo, gosto, heterossexual ou homossexual. É ridículo.

    E sim, tem tudo haver com educação. Acho que já estamos numa altura em que as pessoas têm de apreender a viver com a vida do outro, sem julgar ou meter o bedelho.

    Gostei do facto de teres vindo demonstrar a tua opinião sobre este assunto. Nem toda a gente o faria.
    Beijinhoo*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre acutilante nas suas opiniões Diana :) Também sigo o Luís no Facebook e é evidente o amor que nutrem pelo pequeno Bernardo. Acima de tudo penso que os homossexuais, sendo discriminados a vida toda, aprendem a não o ser, tornam-se melhores pessoas e são capazes de amar sem limites, sem preconceitos :)

      *
      <3

      Eliminar
    2. Sim é verdade. Eu não os quero colocar num pedestal acima de qualquer pai. Mas é dificil quando nem os deixam estar ao mesmo nível que um pai normal.
      Já vi que te vieram dizer que a homossexualidade é anormal. E como sou uma desbocada nestas situações, digo-te que anormal é o preconceito.
      Não sei qual é o problema das pessoas. Porque não é algo que interfira com a sua vida, e a filosofia do "ah vai ser criada por um casal homossexual, vai ser homossexual no futuro também" é absurda. Parece que andaram a conviver com o senhor director do jornal Sol que diz que hoje em dia a homossexualidade é para quem quer diferente (não é preciso dizer o quão ridícula tal ideia é...)
      Pronto, peço desculpa por ter invadido assim o blog com o meu comentário xD
      Beijinhoo*

      Eliminar
  4. epah, nunca li um texto tao correto sobre a materia...sabes, eu acho que nasci imune à diferença, já pouco me choca ou incomoda, e eu nunca consegui entender o problema das pessoas que sao contra a adopção por parte de casais homossexuais, se bem que ja lidei com muitas...

    eu acho que simplesmente se resume ao que disseste e bem: é um casal estavel, tem condições, tem amor, qualquer argumento além disso é desculpa

    e tenho dito

    xoxo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso aí Teh teh :) Ainda bem que nasceste e foste educada assim! Os preconceitos são o total retrocesso da sociedade.

      *
      <3

      Eliminar
  5. Eu sou exactamente da mesma opinião que tu querida!

    ResponderEliminar
  6. Concordo inteiramente que a base de educação de uma criança tem de ser o amor que os pais nutrem por ela, sejam quem forem os pais. mas como tu mesma disseste " Se existem meninos e meninas que discriminam os homossexuais é simplesmente porque não foram educados de modo a respeitarem a diferença, é porque ouvem em casa expressões que nem me atrevo a referir, considerações preconceituosas e ignorantes." eu sou mãe, e como tal tenho de lidar com os pais dos colegas do meu filho, e sinceramente há pessoas que já não é possivel educar contra o preconceito. Infelizmente pessoas de mentalidade mesquinha e pequena haverá sempre, e pais que tornam os seus filhos crianças mesquinhas e ignorantes também, e por mais esforço e boa vontade que os professores possam ter, não há como muda-los. Privo com pais que são de uma falta de educação, de interesses, são de uma boçalidade assustadora, e se a mim me assusta que o meu filho possa vir a sofrer discriminações por coisas tão pequenas e insignificantes como ser muito inteligente, gostar de aprender, ser educado e respeitador para com os outros, não quero imaginar o que muitas crianças fariam a uma criança filha de um casal homossexual. Muitas crianças, e muitos pais dessas crianças... mas qualquer tipo de adopção neste país é uma piada de mau gosto, os orfanatos estão cheios mas adoptar é coisa para muiiiitoooos e longos anos até se saber se se é aceite ou não, é coisa para ter de uma pessoa se submeter a humilhações indecifraveis, para ser olhado de lado por quem de direito... enfim, é só para gente MUITO paciente e corajosa, seja qual for a sua orientação sexual.
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo Verdade. Felizmente os não me posso queixar dos colegas (ou pais dos colegas) dos meus sobrinhos, felizmente são crianças educadas para aceitarem a diferença sem preconceitos. Na turma do meu sobrinho existem inclusive crianças com deficiências e algumas que estão ao encargo da santa casa da misericórdia, na escola acreditam que devem integrar meninos "diferentes" nas turmas "normais". Posso dizer-te que funciona maravilhosamente. Também tinhamos todos esses medos quando o meu sobrinho mais velho entrou para a escola, é uma criança com uma inteligência e sensibilidade muito acima da média. No entanto, deu-se lindamente com todos os coleguinhas :)
      Há que respeitar a diferença e mostrá-la aos mais pequenos da forma mais natural possível :)

      *
      <3

      Eliminar
  7. IMHO, I don't like all unnatural. Homosexualism - is a part of unnaturally condition of the mind... But, I need to agree, that it doesn't hurm anybody.. And I am not sure, that is good idea to educate kids in anormal family, bcuz kids are copying parents... So, if the kid has good genetic his mind will become anormal-homosexual just because of parent's example. But I respect personalities of some gays. IMHO

    Kisses From Europe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hi Eva,
      I totally disagree with you. Homosexuality may not be common but is normal. Love is normal don't you think so? It doesn't matter if it's between a man and a woman or two men. And children should be cared with love. So if a gay couple has these conditions they can have children. These children will follow their parents' example? Sure! They'll turn out to be Young people without prejudice and with a happy and loving family.

      *

      Eliminar
  8. Não tenho qualquer problema em dizer que o meu pai é homossexual e que o seu namorado é como um pai para mim.

    E o problema é exatamente o que disseste... A educação nas outras casas, de pessoas com mentes fechadas habituadas a discriminar.

    As relações devem basear-se no amor e não no género.

    ResponderEliminar
  9. É isso Marta, o amor é fundamental. A orientação sexual é um mero detalhe :)

    *
    <3

    ResponderEliminar
  10. concordo perfeitamente contigo.
    a minha profissão é de lidar diáriamente com crianças já lidei com crianças muito diferentes e vindas de ambientes diversos também.
    Para mim se uma criança tiver uma familia coesa, com valores definidos e amor e carinho, essa criança terá tudo para ser feliz, e para ser um adulto integro e bom no futuro, quer seja a sua familia numerosa, pequena, com pais solteiros, heteros, homossexuais... o que seja.
    Concordo contigo em relação às crianças por vezes serem maldosas com outras por imitação do que ouvem e do que lhes ensinam, qualquer adulto na vida de uma criança serve-lhe de modelo, portanto é muito simples a própria criança criar ideias e imagens mentais e reproduzir o que vê na escola, mas felizmente, da pouca experiência que tenho, vejo mais crianças a serem atenciosas, cuidadosas e boas para com os próximos, especialmente se forem diferentes do que o contrário.
    a nossa sociedade ainda tem muito que evoluir mas eu acredito que esteja tudo a mudar e que nos próximos anos estes preconceitos sejam menores, para a sanidade deste mundo =) (tal como agora são menores do que há 20 anos atrás).
    gostei imenso do post!
    beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Vera :)
      Também acredito que a mudança se avizinha :)

      *
      <3

      Eliminar
  11. concordo completamente ^^ desde que haja amor, não vejo problema algum.
    crianças iriam ser discriminadas?ou com problemas sociais ! deixem me rir isso sempre existira seja por etnia, do mesmo sexo, divorciados, solteiros, sejam os avos, tios, adoptados ... tudo vai depender da personalidade da criança e do 'estofo'
    educacional

    。◕‿◕。 Viver num T0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente a discriminação existe sempre, seja quais forem as circunstancias!
      O que interessa é que a familia eduque a criança para aceitar a diferença :)

      *
      <3

      Eliminar
  12. Não podia concordar mais com o que dizes! Para mim o fundamental é que haja amor e as condições básicas que referes no texto! Se esse amor vem de 2 pais ou 2 mães não importa!
    beijinho*

    ResponderEliminar
  13. É engraçado. No outro dia este foi o tema de conversa do meu grupinho. Uns diziam que a sociedade nao está preparada para uma coisa destas. É certo que os antigos não vêem isto com bons olhos, é verdade. Devo até concordar em certa parte com eles. Não sou homofóbica, mas admito que não gosto de ver um casal homossexual a demonstrar o seu amor e afecto à grande em plena praça pública. Admito, não gosto. Acho que é uma falta de respeito. Mas tanto não gosto num casal homossexual como num casal hetero. Nisso tenho a concordar com aqueles que nos incutiram valores, nomeadamente os meus pais, tios e avós. Mas em relação ao verdadeiro assunto do post...adopção gay, concordo contigo. Tendo AMOR, uma criança tem tudo. Há quem diga que uma criança crescendo num ambiente homossexual torna-se homossexual também, devido à convivência. Não vou por aí. É quase como se dissessem que filho de pais fumadores, filho fumador. Sinceramente, se há tantas crianças por aí à espera que alguém lhes dê o amor que elas tanto merecem então não deviam de discriminar os casais gays, porque quem sabe se não serão melhores que casal tradicional, homem, mulher.

    É um assunto polémico e por este andar, está longe de ser permitido.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  14. Tenho de discordar um pouco da tua opiniãp. Tenho uma mente aberta, e para mim o problema da adopção entre um casal homossexual não passa pela discriminação por parte dos míudos relativamente à orientação parental. Contudo, acho sim que a nossa sociedade não está preparada... Um filho de um casal homossexual terá discriminação na escola, por ter dois pais, e não um pai e uma mãe, como uma família dita "normal". Apesar de não ser contra, penso nas crianças, e como podem ser crueis uns com os outros... Por muito amor que tenham em casa, o dia-a-dia deles é na escola, em contacto com toda uma sociedade que ainda não está minimamente preparada para aceitar a diferença. ATENÇÃO, eu não tenho problema algum com pessoas de orientação sexual diferente, aliás, tinha até dois colegas da faculdade que o eram e eu convivia com eles todos os dias :), acho é que a adopção nesta altura, seria motivo de futuros traumas, e discriminação por parte dos colegas da escola... Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Acho que o mundo é um lugar melhor com amor do que com ódio e por isso acho que cada um deve amar quem quiser!
    A adopção é, de facto, um tema mais sensível por UMA ÚNICA razão: descriminação.
    Se concordo com a adopção de crianças por parte de um casal gay? Sim, claro! Se têm amor para lhes dar, porque não?? Existem pais solteiros ou casais hetero que tratam muito pior as crianças... mesmo quando são deles!
    No entanto, e infelizmente, no mundo de hoje isso ainda não é possível pela tal única razão, a descriminação. Enquanto houver pessoas a olhar para a homossexualidade de modo negativo ou agressivo, isso não é possível.
    Não é uma questão de ensinar a criança a ignorar esse tipo de descriminação, é questão de não haver necessidade para o fazer.
    Conclusão: concordo com a adopção de crianças por parte de casais gays, mas de momento é impossível tal acontecer. Se toda a gente visse a homessexualidade com uma mente aberta, aí sim, tudo estaria bem :) Mas felizmente as gerações mais novas já estão mais "open minded", isto há de seguir em frente, um dia, talvez ainda algo longe, mas há de conseguir-se que o amor vitorie ^__^

    ResponderEliminar
  16. baby, concordo contigo ;) Desde que haja amor tudo se pode. Se a receita 'casal formado por um homem e uma mulher' fosse a 'perfeita' não deveriam haver crianças com pais heterossexuais negligenciadas... ou por exemplo, aquelas crianças que foram criadas praticamente por um mãe e por uma tia (em situações em que por algum motivo a figura paterna não estaria presente) teriam de ser obrigatoriamente crianças traumatizadas e infelizes, e esse n é o caso ;) desde que haja amor e se transmitam valores, é absolutamente indiferente se a criança cresce com dois pais ou duas mães ;)

    bjo**

    ResponderEliminar
  17. Convido a assinar a seguinte petição sobre legislação da parentalidade por casais do mesmo sexo: http://www.avaaz.org/po/petition/Legislacao_da_Parentalidade_por_Casais_do_Mesmo_Sexo_em_Portugal/?fMitKbb&pv=9

    ResponderEliminar
  18. Temos uma opinião bastante semelhante :)
    Tal como tu eu acredito no amor!

    ResponderEliminar

All about the latest news

Get an email of every new post!

All the ladies

All the stories